terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Casual Friday: descontração ou confusão?

O Casual Friday (Sexta-feira informal), foi implantado pela primeira vez na década de 1970 nos Estados Unidos, com intenção de diminuir o nível de estresse e incentivar momentos de descontração entre funcionários e colaboradores, empresas deram o direito de, pelo menos um dia na semana, usarem roupas mais confortáveis e menos formais dentro do escritório.

Homenagear a chegada do final de semana usando roupas mais confortáveis é maravilhoso porém, deve-se tomar muito cuidado para não confundir descontração com desleixo ou inadequação.

A confusão é grande havendo casos de abuso de trajes inadequados gerando a si e aos colegas desconforto, ansiedade, desconcentração e mais estresse. Percebendo isso algumas empresas decidiram abolir o “dia informal” de seus calendários.

Quais são os erros mais comuns?


Homens:- jeans desgastado, com barra desfiada ou cheio de bolsos;
- calças com elásticos na cintura;

- camisetas estampadas com nomes de bandas, lugares, desenhos, dizeres, piadinhas, times de futebol (show de horror!!) etc.;
- camisetas sem mangas;
- moletons;
- bonés;
- roupas estilo exército ou camuflagem;
- tênis ou sapatênis (casual não é esportivo);
- shorts ou bermudas;
- chinelos;
- meias de futebol, meias brancas.




Mulheres:- Tomara que caia, tops ou barriguinha de fora (mesmo que sutilmente);
- tecidos muito brilhantes;
- jeans justíssimos ou com muitos detalhes como bolsos, bordados, lavagens muito contrastantes;
- sandálias muito abertas, chinelos, e mules;
- tecidos aderentes ao corpo;
- detalhes ou peças com estampas imitando pele de animais;
- roupas de ginástica;
- shorts e bermudas curtas e justas;
Enfim, toda peça que seja ou pareça insinuante.

Porque tudo isso prejudica sua imagem na empresa?
Mesmo tratando-se do "casual", você ainda está no ambiente de trabalho e precisa concentrar-se nele. A vestimenta torna-se inadequada quando passa a impressão de que você desejaria estar em outro lugar, fazendo outra atividade que não aquela.

Sua aparência é um reflexo do que está pensando, vestir-se como se fosse para um churrasco, shopping, balada, implicaria numa perda significativa de credibilidade para empresa e principalmente para sua imagem profissional.

Se um cliente chega de surpresa e o(a) encontra vestido(a) de uma maneira inadequada, pode parecer que você esta ansioso(a), já com a cabeça em outro lugar, afetando a confiança pois, ele sentirá que você não está disponível para atende-lo. Ainda mais se estiverem em áreas de atuação como bancos e advocacia.

Todo profissional precisa usar de muito bom senso para não sofrer grandes prejuízos na carreira, afinal, uma das maneiras de se transmitir profissionalismo, competência e credibilidade é através da aparência, da vestimenta.
A empresa é a grande responsável por definir e orientar funcionários sobre a política de vestuário.
a

É importante que haja comunicação direta, seja através da intranet, internet, e-mails, impressos. Também, através de palestras e treinamentos orientados por consultores de imagem. Assim, todos aprenderão sobre a importancia da apresentação pessoal, assim como a real diferença entre informal e inapropriado, sempre respeitando os valores da empresa.

Acertando no visual da sexta-feira informal:

Homens:













a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
aa
a
aa

aa
aa
a

- Camisa pólo de corte reto;
- Camisas mais esportivas, de manga longa ou curta, sem estampas e de cores neutras;
- Calças de veludo (para o inverno), sarja grossa ou jeans
(corte reto, cor escura , sem detalhes e lavagens muito contrastantes);- Blazers de veludo ou sarja;
- Jaquetas de lã ou tecido;
- Suéteres com ou sem textura;
- Mocassins, sapatos de amarrar de couro, camurça ou nobuck, com solados de couro ou borracha;
- Relógios esportivos.


Mulheres:















a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
aa
a
aa
a
a
aa
- Blusas informais e arrumadas;
- Calça de sarja ou jeans (corte reto, cor escura, sem detalhes e lavagens muito contrastantes);
- Vestidos, porém NUNCA frente única, tomara que caia ou mini (sem estampas grandes e coloridas);
- Blazers de sarja, casaquinhos, jaquetas ou tricôs, Twin-set;
- Sapatilhas, sandálias fechadas, botas, peep-toes de couro ou camurça;- Acessórios maiores.
aaa

Lembrando sempre que o dia informal é melhor aproveitável dentro do escritório, se por um acaso o cliente marcar uma visita justamente na sexta-feira, melhor optar pelo traje formal para que nada possa atingir sua confiabilidade.
a
a
a
a


Fontes: Jornal Carreira & Sucesso;
Isto É Dinheiro;
Claudia Matarazzo;
Revista Veja;
Catho;
Revista Manequim;
Desfile Ricardo Almeida.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Você já comprou roupas usadas? (Por Leticia Pontes)*

Eu já, e posso dizer que adorei!

Aqui em Estocolmo há uma porção de lojas second hand (brechós) com coisas incríveis e preços maravilhosos. O legal dessas lojas é a possibilidade de se encontrar peças diferentes, coloridas e que representem seu estilo…

Por causa do clima frio e da cultura, roupas coloridas não são muito populares por aqui mas eu, como boa brasileira, não conseguia ficar sem algo colorido no armário.
dssdhfis
Andei por toda a cidade procurando cores nas lojas porém, a única cor viva que aparece nas vitrines com alguma freqüência durante o inverno é o vermelho num tom bem quente e o que eu queria eram peças que fossem em pink ou verde-água, azul royal, roxo, amarelo, etc…
kdhsiduhfsiu
Certo dia, lendo revistas e blogs, descobri que as peças coloridas que eu tanto desejava estavam disponíveis em lojas second hand. Foi aí que mudei o roteiro das minhas caminhadas pelo centro e acabei conhecendo uma loja inglesa chamada ”Beyond Retro”.
kjdhsdihfsid
Se você estiver de passagem por Londres, por exemplo, não deixe de visitá-la. Lá tem de tudo: roupas de inverno e verão, bolsas, sapatos, acessórios para homens e mulheres e muito mais.
djsdfsd
Em novembro deste ano, com a chegada do inverno, fui ate lá tentar realizar meu sonho: ter um casaco de pele (falsa, lógico!) e que de preferência não fosse totalmente preto.

Havia uma variedade imensa de opções de casacos, mas a maioria, infelizmente, era em preto. Eu queria algo que fosse um pouco diferente, pois se já não bastasse a falta de sol, é só essa cor que as pessoas daqui costumam usar. Por isso, optei por um listrado preto e cinza (é realmente difícil fugir completamente do preto). E sabem quanto eu paguei por ele? 150 reais! Um novo, na Zara, por exemplo, custava 300 reais.

Mas na verdade, o que eu acho mais legal de comprar roupas em second hand é a possibilidade de encontrarmos peças que realmente representam nosso estilo, nossa personalidade.

Só comprando roupas em lojas ”normais”, se não temos muita paciência ou não nos sentimos seguras para fazer combinações diferentes, acabamos saindo vestidas exatamente igual a muitas outras pessoas. E a nossa identidade onde fica?

O casaco da Zara, aquele que eu havia gostado, vi pelo menos umas quatro pessoas usando o mesmo modelo. O meu, da Beyond Retro, só eu tenho…

A dica, para dar um toque de personalidade ao seu look, é procurar comprar acessórios em ”second-hand” ou feirinhas. Com uma pesquisa rápida no Google para saber os pontos de venda, tenho certeza que encontrará coisas incríveis!

E se você estiver de passagem marcada para a Europa, tente deixar um dia só para garimpar esses tesouros e encontrar peças de muito estilo!
dshlsidfhl
lvçsdjçajvkvldvkdlfv
*Leticia Pontes é Consultora de Imagem (www.leticiapontes.com), atua no mercado de moda e imagem desde 2006.
Colabora escrevendo sobre produtos e lojas que conheceu e situacões interessantes que vivenciou desde que se mudou para a Suécia.